***RUI BARBOSA***

***RUI BARBOSA***
"De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto." (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)
Licença Creative Commons
Autorizada a reprodução para fins não comerciais desde que mencionada a fonte.

domingo, 27 de março de 2011

Será que Ela Usou Droga Estragada?

Se não usou, é um ET !!! Veja e se divirta com essa loira doida (tinha que ser loira, né?) -  Bom domingo a todos.

sábado, 26 de março de 2011

Quem Poupa o Lobo mata as Ovelhas


 Luís Mauro Ferreira Gomes - 16 de março de 2011


                                                Foto: Free Image - Canadian Site

 Aquele que busca a verdade, seja ela científica ou filosófica, deve, antes de qualquer consideração, assegurar-se de que mantém a mente livre de idéias preconcebidas e daquelas a que não se tenha chegado por meio da comprovação ou do raciocínio lógico.
É fundamental que as premissas das quais partimos não sejam falsas, o que invalidaria todo o esforço empreendido para se chegar à verdade.
Reconhecemos que tudo isso é tão óbvio e já foi repetido tantas vezes, por tantas pessoas, que deveria ser desnecessário abordá-lo aqui.
Mas não é assim. Muitos de nós deixaram-se influenciar pela propaganda do inimigo a tal ponto, que perderam a capacidade de distinguir o falso do verdadeiro.
Acreditar nas próprias mentiras é uma bobagem e um vício muito prejudicial à compreensão da realidade, mas transformar em suas verdades os “slogans” subversivos da propaganda ideológica adversa não é mais um vício no processo de busca da verdade nem uma ingenuidade de cidadão desavisado, é uma completa estupidez suicida.
Infelizmente, é o que vem acontecendo de forma paroxística no Brasil destes tempos conturbados em que vivemos.
Temos visto recrudescer, outra vez mais, campanha sórdida e violenta contra as Forças Armadas Brasileiras.
Tudo começou com a descabida insistência do governo em implantar a dita comissão da verdade. A mentira já começa nos argumentos usados em sua defesa. O ministro da justiça, o desconhecido Senhor José Eduardo Cardozo, disse a O Globo (edição de 16 de março de 2011) que “é um dever do Estado criar a tal comissão”. Talvez ele pense que “L’État c’est lui” (**). A maioria esmagadora do eleitorado nem desconfia de que assunto se trata, e todas as pessoas esclarecidas e dotadas de honestidade de propósito rejeitam a comissão, como o comprovam as cartas aos leitores em todos os jornais.
Disse ainda o ministro que “a sociedade brasileira quer a verdade”. Sim, todos queremos a verdade, mas a verdade resguardada pelos cuidados a que nos referimos no início deste artigo. Somente os bandidos, os terroristas, os subversivos de ontem, hoje travestidos de “autoridades”, querem a mentira do ministro.
Todos os brasileiros, inclusive os militares, queremos, sim, a verdade, mas a verdade completa, não a verdade unilateral do governo, como a quer, também, o senhor José Dirceu. Disse ele em seu Blog de 10 de março:
Querem a reciprocidade, investigar a oposição e a resistência à ditadura? Investigar quem foi preso, torturado, condenado? Quem foi demitido e exilado, perseguido e viu sua família se desintegrar? Quem teve que viver na clandestinidade e no exílio para não ser preso e assassinado?
Não, senhor Dirceu, não queremos investigar nada disso. Queremos que sejam investigados quem roubou, quem assaltou, quem seqüestrou, quem assassinou, quem justiçou seus próprios companheiros suspeitos de traição, quem praticou atos de terrorismo, quem explodiu bombas, quem optou, voluntariamente (ou seduzido por mentores irresponsáveis), por pegar em armas contra o Estado para implantar uma ditadura do proletariado (Comunismo) no País. Queremos saber quem matou pessoas como Pedro Funchal Garcia, entre tantos outros. Queremos que todos saibam quem praticou todos esses crimes.
Nós queremos resgatar a verdade, a começar pela exposição da mentira que serve de base para a própria tentativa de criar-se essa comissão da “verdade”.
Como norma, os militares não torturam ninguém. E se alguns o fizeram, esses casos excepcionalíssimos, estatisticamente insignificantes quando comparados com o universo dos integrantes das Forças Armadas, seriam as exceções a confirmar a regra. A maioria dos casos de tortura que houve durante os chamados Governos Militares foi praticada por civis, sem qualquer amparo institucional. A tortura, sempre condenável, era uma prática comum nas delegacias, herdada do passado anterior à Revolução Democrática de 31 de Março, cujo aniversário comemoraremos no último dia deste mês. Era tortura como a que ainda hoje existe por aí e só causa arrepios quando a vítima é terrorista. Não vemos ninguém preocupado com os outros criminosos, os comuns, que foram torturados naquela época e continuam a sê-lo, ainda hoje. Por que não procuram julgar os presidentes destes tempos pelos casos de tortura existentes nas delegacias de polícia?
Mas qual seria a causa dessa nova onda antimilitarista? Entre as possibilidades existentes, destacaremos duas:
1)     Alas mais radicais do PT podem querer criar uma situação de fato que impeça o governo de desistir, forçando-o a criar a comissão;
2)     A situação econômica é muito grave, decorrente, entre outros desmandos, dos gastos irresponsáveis do antecessor para eleger o governo, que talvez enfrente forte insatisfação popular e grande perda de popularidade e, por isso, queira prevenir-se, mantendo as Forças Armadas acuadas.
Seja qual for a razão, é preciso dar um basta no assédio moral que algumas autoridades vêm praticando não somente contra os que os combateram e os venceram, mas contra todos os militares de uma forma geral.
É inaceitável que dinheiro público possa ter sido usado para subornar um empresário e forçá-lo a editar uma novela sem nenhum compromisso com a verdade, em que se denigrem as Forças Armadas, apresentando os militares de forma caricata como monstros torturadores, numa inversão de papéis, onde os bandidos são apresentados como heróis e estes, como vilões. É preciso que se tomem medidas judiciais para que a verdade seja preservada e as ofensas reparadas.
E o ministro da defesa? Este, pelo menos, não engana mais. Surgiu cheio de bravatas até ser confrontado pelo Alto-Comando do Exército. Ao tentar reagir, percebeu toda a sua fragilidade. Mudou de tática. Aproximou-se dos Militares e passou a fazer um discurso próximo do que nós pensamos. Foi a maneira que encontrou para se blindar contra o próprio presidente, com quem o expediente funcionou.
Foi, assim, tornando-se cada vez mais poderoso e poucos viam que a fonte do seu poder eram as Forças Armadas. Quando, no ano passado, em meio à crise do III PHDH, os Comandantes Militares renunciaram a seus cargos, sentindo-se poderoso, acompanhou-os no ato, roubando para si os bônus do fato, cuja importância residia na renúncia dos Comandantes e não na do ministro. A sua participação no episódio permitiu-lhe, ainda, um ajuste de contas na disputa por espaço político com o então ministro da justiça, o Senhor Tarso Genro.
Enquanto fingia ser amigo dos militares, trabalhou para a neutralização das Forças Armadas, por meio da estratégia nacional de defesa e da nova estrutura do seu ministério, com as quais usurpou várias competências constitucionais do presidente da república. Talvez por ignorância total, o Senhor da Silva o aceitou.
Ao assumir a presidência, a Sra. Dilma Rousseff viu-se obrigada a mantê-lo no cargo por pressão do antecessor, possivelmente relacionada com a mal explicada insistência pela escolha dos Rafales.
Ela sustou a compra dos aviões e desprestigiou-o, recebendo os Comandantes Militares a sós, apesar da insistência com que o Senhor Jobim se quis fazer presente. A imprensa começou, então, a noticiar que poderia ser substituído. Mais uma vez, percebendo a sua fragilidade e, coerente com o seu caráter, imediatamente mudou de tática novamente.
Pressuroso, aceitou o Senhor José Genoíno, guerrilheiro, mensaleiro petista, réu em processo no STF, derrotado nas eleições passadas para deputado federal, como seu “assessor especial”, aquilo que a sabedoria popular convencionou chamar de “aspone”.
Passou, também, a defender a criação da comissão da verdade contra a vontade dos militares, que, atendendo a solicitação do próprio ministro, já se haviam manifestado desfavoráveis, ainda no ano passado, pelas razões já expostas acima.
Quem sabe, tenha ele próprio vazado o documento, ajudando a deflagração de intensa campanha sobre o fato em todos os meios de comunicação.
Onde está o “amigo dos militares”, o “melhor ministro da defesa que já tivemos”, como o conseguiram ver alguns amigos de extrema boa fé?
Felizmente, os militares estão sós outra vez. Antes sós do que mal acompanhados. Talvez, agora, possam fazer o que precisa ser feito, sem intermediários.
Respeitamos a hora de calar. Depois veio a hora de falar e continuamos calados. Veio a hora de gritar e permanecemos mudos. Agora é a hora de bater, e bater com todas as nossas forças, em defesa dos nossos valores, das nossas tradições, da nossa honra e da nossa dignidade. Não somente por nós, mas, também, por aqueles que nos antecederam, cuja herança não temos o direito de aviltar.
Os atuais governantes não são racionais nem têm bons sentimentos. Estão completamente dominados pelo ódio e cegos pela ideologia. Deles nada obteremos, sendo bons moços. É impossível conciliar-se com quem não quer conciliação.
Fomos generosos: demos-lhes a anistia. Responderam com a difamação, a injúria e a calúnia. Chegou a hora de lhes tomar o que lhes demos, de lhes impor limites. De estabelecer fronteiras das quais não os deixaremos passar.
Vencer eleições, ainda que não tivessem usado recursos ilegais, não lhes daria o direito de delinqüir nem salvo conduto para violentar a Constituição.
Todos os brasileiros têm o dever de usar todos os meios à sua disposição para exercer o direito de legítima defesa da Pátria.
Matemos o lobo, antes que ele mate as ovelhas.
Esta é a hora de bater. Se a perdermos, somente restará a hora de morrer. Morrer de vergonha. Pelo menos, os que ainda a têm.
 
Notas do autor:
(*)   Aforismo inspirado na citação de Victor Hugo “Une bonne action peut donc être une mauvaise action. Qui sauve le loup tue les brebis (Uma boa ação pode ser uma má ação. Quem salva o lobo mata as ovelhas).
(**) Ele é o Estado: alusão ao Rei de França Luís XIV que, supostamente, teria dito “L’État c’est moi” (O Estado sou eu).
 
1)      Observações:
2)      O autor é Coronel-Aviador reformado e, atualmente, Vice-Presidente da Academia Brasileira de Defesa;
3)      As matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam, necessariamente, o pensamento da ABD (Academia Brasileira de Defesa).
Colaboração por email de A.C.Ceschin  

O que é o nacionalismo americano?

Foto: © istockphoto.com /Duncan1890
"A ideologia dos fundadores da República Americana foi uma síntese originalíssima que harmonizava as reivindicações práticas do Iluminismo com as exigências e princípios do cristianismo bíblico."

Um leitor, Márcio Ricardo, do Rio de Janeiro, envia-me a seguinte pergunta: "O que é o nacionalismo americano? Por que canais se expressa? Que grande resistência pode oferecer aos que detêm (se é que detêm) o poder pelo dinheiro, como os integrantes do Grupo Bilderberg?"
Meu amigo, você fez a pergunta certa. Esse é provavelmente o assunto mais urgente a ser estudado por quem deseje compreender o quadro político do mundo e fazer previsões razoáveis. É também, por desgraça, o aspecto mais ignorado fora dos EUA, o que torna a maior parte das análises de política internacional - sobretudo as brasileiras - um extenuante campeonato de erros.

Por isso mesmo não hesitarei em dedicar à sua pergunta mais de um artigo, se necessário, sem prejuízo do possível aproveitamento deles como rascunhos para o debate em andamento com o prof. Alexandre Duguin.

Vamos lá. No que diz respeito ao conteúdo ideológico geral, o nacionalismo americano é em essência um conservadorismo, empenhado em manter viva a tradição constitucional e o legado dos Founding Fathers. Isso quer dizer que a Constituição, na perspectiva nacional-conservadora, deve ser interpretada segundo a intenção de seus autores, não deformada por arranjos posteriores que, a pretexto de fazer dela "um documento vivo" (expressão de Al Gore), tratam logo de sepultá-la.

A ideologia dos fundadores da República Americana foi uma síntese originalíssima que harmonizava as reivindicações práticas do Iluminismo com as exigências e princípios do cristianismo bíblico. A explícita inspiração cristã da Constituição e das leis americanas foi tão bem documentada nas mil páginas do livro clássico de Benjamin F. Morris, The Christian Life and Character of the Civil Institutions of the United States (1864), que qualquer tentativa de questioná-la ou relativizá-la é coisa de evidente má-fé.

"Nossa Constituição - afirmou o segundo presidente americano, John Adams - foi feita somente para um povo moral e religioso. Ela é totalmente inadequada para o governo de qualquer outro povo."

Os americanos são o único povo, em todo o universo, governado por uma Constituição cristã, que ademais tem consciência disso e que continua vendo aí uma das fontes principais de inspiração para suas lutas, ao ponto de que mesmo os políticos hostis ou indiferentes ao cristianismo se vêem forçados a fazer-se de cristãos para não perder votos (Barack Hussein Obama II - sim, este é seu nome completo - anticristão e pró-muçulmano, submeteu-se a essa ginástica só até o dia da eleição; tão logo se sentiu seguro no cargo deixou de frequentar os cultos dominicais, mesmo os da Black Liberation Theology).

Isso já basta para demonstrar o quanto é falsa a opinião do Prof. Duguin, segundo a qual o iluminismo materialista e individualista defendido por Sir Karl Popper em The Open Society and Its Enemies é a ideologia dominante dos EUA. Como poderiam dois séculos de constitucionalismo cristão ser apagados da noite para o dia pelo livro que um austríaco publicou em Londres em 1945, e que, em número de exemplares vendidos na América, nunca foi páreo nem sequer para os discursos de Billy Graham, quanto mais para os de George Washington, Thomas Jefferson e John Adams, para não falar da Bíblia do Rei James?
 
De fato o popperismo é, sim, a ideologia dominante da elite globalista, mas a prova de que esta não representa a população americana nem as tradições do Estado americano é que só consegue - quando consegue - impor suas políticas camuflando-as muito bem na linguagem tradicional do nacionalismo conservador (Lyndon Johnson foi um artista nisso; Barack Hussein Obama II só mostrou algum talento nessa prática durante a campanha eleitoral; depois de eleito cometeu gafe atrás de gafe e se revelou).

Se ao observador estrangeiro a visão duguiniana do americanismo parece verossímil é por uma razão que já mencionei mil vezes: o nacionalismo conservador é ainda a opinião majoritária entre os americanos, mas só tem público dentro dos EUA e nenhuma projeção na mídia internacional, amplamente dominada pela elite globalista e seus sócios na Europa e na América Latina.

Quem quiser tirar a coisa a limpo, que venha aqui e acompanhe o debate político interno: a força do nacionalismo conservador é tanta que já consegue até estourar as manobras com que os globalistas vinham sutilmente, desde os anos 50, infiltrando gente sua no Partido Republicano, nominalmente a fortaleza dos conservadores.


Chicoteado pelo movimento do Tea Party, o GOP ("Grand Old Party") está em discreto mas efetivo ritual de autodepuração, e quanto mais se livra de traidores e vendidos, melhor o seu desempenho nas eleições. Em breve voltarei ao assunto.


http://www.midiasemmascara.org/artigos/conservadorismo/11941-o-que-e-o-nacionalismo-americano.html

Colaboração por email de J.E.O.Bruno 
Editado por Fernando Lemos

Palácio do Planalto Assaltado!!!

MENSAGEM ENCAMINHADA POR LEITOR E SEGUIDOR DO BLOG DO CONTATO

O Crucifixo que sumiu do gabinete Presidencial
 A legislação brasileira e de vários outros países civilizados, determina que os presentes ganhos pelo Presidente da República, no exercício da função, sejam incorporados ao patrimônio público, por serem considerados propriedade do Estado.
Lula e sua família, ao deixarem o Palácio da Alvorada, levaram todos os presente recebidos, inclusive uma coleção de jóias raras recebida do presidente do Egito, já registradas no acervo da presidência da república. Foram 11 caminhões de mudança. Esse é petista da gema.
D. Marisa, a Italiana, disse que as jóias eram dela, e as colocou na sua bagagem, rumo a São Bernardo do Campo.
Funcionários antigos do Alvorada ficaram horrorizados quando perceberam a falta de diversos objetos de arte e peças de alto valor,  como estatuetas e faqueiros.
Durante o rescaldo do grande saque às instalações palacianas, observou-se que os Silva haviam surrupiado, inclusive, o crucifixo que há décadas adornava a sala de visitas do Presidente da República.

Em vista deste descalabro e por temor da ira divina, foi lançada a campanha de recuperação do patrimônio público nacional:

             "Devolve, Lula...!"
 A Folha de S. Paulo, publicou a informação de que a presidente Dilma Rousseff, em sua primeira semana de trabalho, retirou o crucifixo da parede de seu gabinete e a bíblia de sua mesa.

Helena Chagas, ministra chefe da Secretaria de Comunicação Social, através de seu twitter, contradisse a informação divulgada pela Folha. Segundo ela, “a presidente não tirou o crucifixo da parede de seu gabinete. A peça é do ex-presidente Lula e foi na mudança. Aliás, o crucifixo, que Lula ganhou de um amigo no início do governo, é de origem portuguesa”. Segundo Chagas, a bíblia continua lá, em uma sala contígua, em cima de uma mesa. A mesma informação está em nota da Secom.



Agora, a pergunta que não quer calar...<
http://resistenciademocraticabr.blogspot.com/2011/01/pergunta-que-nao-quer-calar.html>


[
cid:1.2950630805@web31004.mail.mud.yahoo.com]<http://2.bp.blogspot.com/_PaeGFK5b1uQ/TSoJCJMg4pI/AAAAAAAAxQI/7y56cKaym_I/s1600/gabinete_planalto.jpg>



Se o crucifixo era presente recebido por Lula, como o objeto poderia estar presente nesta foto de Itamar tirada no gabinete presidencial há anos ?



POR ISSO, VAMOS TODOS, EM CORO, EXIGIR:


Devolve, Lula!


Ladrão!


Fonte: Blog do Contato 

Brasil vai colocar mais água na gasolina e importar álcool

Foi tudo farsa!!! Propaganda pura!!! Foto Divulgação
JOSÉ ERNESTO CREDENDIO
LEILA COIMBRA
FOLHA DE SÃO PAULO- 26/03/2011 - 07h00

Em nova tentativa de conter a escalada de preços dos combustíveis, a ANP (Agência Nacional do Petróleo) autorizou o aumento na quantidade de água no álcool anidro, que é misturado à gasolina vendida nos postos, informam José Ernesto Credendio e Leila Coimbra, em reportagem na Folha deste sábado.

A mudança, temporária, visa permitir a importação de álcool dos Estados Unidos.
Desde ontem, o etanol anidro pode ter até 1% de água, que é a especificação no exterior. Antes, no Brasil, o teor máximo era de 0,4%. O limite para o etanol ser considerado anidro é 1% de água.
No longo prazo, a mudança pode ser prejudicial ao motor.
Para ampliar, clique no quadro. Editoria de Arte / Folhapress/Editoria de Arte / Folhapress
A medida vale até 30 de abril, quando termina a entressafra de cana no centro-sul. Conforme resolução publicada pela ANP, o teor real de etanol no combustível cai de 98% para 92,1%.
Os 200 milhões de litros comprados dos EUA por produtores nacionais serão misturados à gasolina.
A mudança não afeta o álcool combustível (hidratado), vendido nos postos.
ESCALADA DE PREÇOS
O álcool manteve a escalada de preços nesta semana nos postos de São Paulo e chegou a R$ 2,80 por litro, segundo outra reportagem da Folha de hoje. O preço médio registrado pela pesquisa semanal da Folha foi de R$ 2,19 por litro, com alta de 20% em 30 dias.
A tendência de alta do álcool, no entanto, pode estar no fim. O hidratado já sai das usinas com preços menores do que há uma semana.
É o que mostram os valores de negociações do hidratado em Paulínia, conforme dados do Cepea. Demanda menor e oferta maior vão derrubar os preços.
IMPORTAÇÃO
Um carregamento de gasolina importado pela Petrobras chegará ao Brasil até o dia 15 de abril para garantir o fornecimento ao aquecido mercado doméstico, informou à Reuters ontem o diretor de abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa.
Segundo ele, a gasolina será armazenada e utilizada em caso de necessidade. "A gente vai trazer e armazenar. Se precisar usa, se não precisar não usa", disse o executivo. "No ano passado a gente importou para 10 dias, não deve ser muita coisa diferente disso", afirmou.
No ano passado a Petrobras importou 3 milhões de barris de gasolina de várias origens no início do ano, o que não fazia há cerca de 40 anos, também em função de um mercado interno aquecido.
Costa informou que as refinarias da empresa estão trabalhando a plena capacidade e produzindo 380 mil barris diários de gasolina, totalmente absorvidos pela demanda interna.
"Estamos produzindo o máximo de gasolina em todas as nossas refinarias e se verificarmos que o estoque está abaixando e que precisa importar, iremos importar", afirmou Costa.
Leia a reportagem completa na Folha deste sábado (26/03/2011).

Fonte: FOLHA.com
Editado por: Fernando Lemos

quinta-feira, 24 de março de 2011

Vídeo de Resende - Início dos Anos 1970

Um documentário histórico que registra em imagens panorâmicas como era Resende (RJ) no início da década de 1970. O autor, Cel. Besouchet, filmou a cidade do alto do então recém construído prédio da APM (Aposentadoria dos Professores Militares), empreendimento do qual era um dos diretores e principal fundador. Podemos apreciar a chaminé da Cooperativa Agro-Pecuária do Mun. de Resende - Leite Agulhas Negras - a Rua Alfredo Whately em sua quase totalidade, o "enorme" prédio do Hotel Avenida e  (pela ordem) as pontes Miguel Couto, pequena ponte da Av. Kennedy (também obra do Prefeito Pineschi), Nilo Peçanha (Ponte Velha) e Tácito Viana Rodrigues, está em fase final de construção na gestão de José Marco Pineschi (31/01/1971 a 31/01/1973) e o terreno vazio onde está hoje a nova Praça da Concórdia. Observa-se que o prédio do demolido Hotel Central ainda estava "de pé" nessa época. Também vemos a Rua Gulhot Rodrigues, a curva da atual Av. Rita Ferreira da Rocha (Beira Rio) no "terrenão" que hoje virou o bairro "Jardim Jalisco" onde está o "Resende Shopping" (na boca da ponte Miguel Couto), o Estádio do Trabalhdor e a Prefeitura (no filme, em obras para ser o Parque de Exposições), os prédios do INSS, do Colégio Souza Dantas e do antigo Forum,  além de outros pontos que hoje estão pontilhados de novos prédios e edifícios. Também de relance se vê o já demolido Hotel Glória (hoje Banco Itaú, ex-Unibanco) e a Casa Divina Providência que funcionava embaixo do Hotel. Há também um pequeno close na Serra do Itatiaia (Mantiqueira) e no região do Monte Castelo. Também podemos observar claramente o Hotel Presidente do saudoso Farid Kuraiem, e o prédio em frente a Cooperativa de Leite. Já no final do filme, a Av. Castelo Branco vista do Posto com a bandeira BR e o edifício da APM, o maior e mais alto daqueles tempos e assombrosa obra de engenharia, que trazia orgulho para todos os resendenses. Era o progresso chegando...  E a casa do Cel. Besouchet, uma moderníssima e das mais belas e confortáveis construções da época, a famosa 276 do Bairro Comercial, onde muitas reuniões e decisões políticas importantes aconteciam. Este filme é um documento histórico de valor inestimável, sem sombra de dúvidas. Magnífico!!!
Texto: Fernando Lemos

Porque Não Sou Comunista

ISSO NÃO É FICÇÃO NEM DOCUMENTÁRIO!!! É REALIDADE. SÃO CENAS REAIS!!!
 
É aterrador o que se vê nas fortes imagens do vídeo abaixo. É muito importante que se o assista com atenção para a compreensão do que é realmente o regime comunista. É elucidativo e deve ser mostrado aos nossos jovens para que eles entendam que ser comunista não é "um barato". Foi para tentar implantar no Brasil esse sistema político extremamente pernicioso que Dilma Rousseff, José Genoíno, José Dirceu, Fernando Pimentel, Franklin Martins, Fernando Gabeira e muitos outros pegaram em armas. E quase todos eles - hoje - estão nos mais altos escalões do Governo. Precisamos ficar cada vez mais atentos para impedir que eles tentem novamente.

"UMA MORTE, É  APENAS UMA TRAGÉDIA. MILHÕES DE MORTES, É UMA ESTATÍSTICA... JOSEPH STALIN " 




Cristo ou Marx?
por Dalton C. Rocha em 21 de abril de 2003

Resumo: Cristo libertou. Marx apenas mentiu e condenou à desgraça todas as nações que seguiram suas imbecilidades.

© 2003 MidiaSemMascara.org

É normal nas missas e fora delas dizerem que Marx era igual ou similar a Jesus Cristo. Marx não imitou Jesus Cristo mas outro Profeta, Maomé, posterior a Cristo. Esta "moda" de dizer que Marx é como Jesus Cristo é blasfêmia pura. O fato de ser dito em toda igreja não impede de ser blasfêmia e do mais baixo grau. Para ficar só em algumas óbvias diferenças, o Cristianismo é uma fé deísta.

Cristo pregou dizendo-se orientado por Deus. Cristo praticou aquilo que pregou. Sim, Jesus disse que ele era o caminho, a verdade e a vida. O fato de Marx ter dito algo similar não desmente as suas enormes diferenças, pois são caminhos diferentes, verdades diferentes e vidas diferentes.

Infelizmente poucos Padres e Pastores protestantes, talvez nenhum, notam a total incompatibilidade entre Marx e Cristo. Eu, um anônimo Engenheiro Agrônomo desempregado vou ter que dar uma lição de religião a nossos Bispos da CNBB e ao Arcebispo D. Paulo Evaristo Arns que, mesmo muito velho, não sabe até hoje ou finge que não sabe que cristianismo e marxismo são totalmente diferentes. As diferenças são inúmeras. Tão grandes que eu citarei apenas umas poucas. Vamos lá!

a)Cristo disse no evangelho segundo Marcos capítulo XI versículo 22: “Tenha fé em Deus”. Marx disse: “A religião é o ópio do povo”. A frase na verdade não é de autoria de Marx. Ele a dizia como se fosse sua. Ainda assim mostra de cara a diferença. Jesus disse que era Profeta de Deus. Se Deus não existe Jesus não era uma verdade a ser seguida mas um charlatão a ser evitado. Quem concorda com quem chama toda a religião de ópio terá que igualar Jesus Cristo a Fernandinho Beira Mar. Todo cristão que chamar de ópio aquilo que Jesus serviu não pode ser mais cristão. Talvez seja Cardeal da Igreja Católica ou Bispo da Igreja Universal. Cristão não será mais. Jesus disse para termos fé em Deus. Como pode alguém tão falso dizer que tem a fé em Deus e ao mesmo tempo dizer que Deus não existe?

b) Cristo disse no evangelho segundo São Marcos capítulo VII versículos 20 a 23:

“Ora o que sai do homem isso é o que mancha o homem. Porque é do interior do coração dos homens que precedem os maus pensamentos: devassidões, roubos, assassinatos, adultérios, cobiças, perversidades, fraude, desonestidade, inveja, difamação, orgulho e insensatez. Todos estes vícios procedem de dentro, tornam impuro o homem”. Qualquer pessoa sensata e informada que leia este trecho do evangelho com as palavras de Jesus Cristo irá notar de cara a total incompatibilidade de Cristo com Marx. Cristo chamou de impuros todos os homens que pratiquem o adultério, a fraude, a devassidão, a difamação. A vida de Marx foi precisamente dedicada a praticar parte destes vícios e a pregar a prática em larga escala dos vícios restantes. Jesus taxativamente aprova o direito de propriedade. Ele diz que mancha o homem até pensar em roubar a propriedade alheia. Somente um completo mentiroso pode dizer que Marx imitou Jesus. Marx repetidas vezes exigiu o confisco de toda espécie de propriedade privada. Os tais meios de produção. Escreveu sobre isto longamente. A História do marxismo foi e é exatamente a prática em larga escala daquilo que Jesus Cristo taxativamente condenou até como pensamento. Jesus condenou até o pensamento de assassinar pessoas. Marx exigiu o extermínio de milhões de pessoas. Jesus condenou taxativamente até se pensar em roubar a propriedade alheia. Marx exigiu o roubo da propriedade alheia que ele chamou de “meios de produção”. Como pode o marxismo ser parecido ou igual ao cristianismo?

D. Paulo Evaristo Arns, se fosse cristão, não estaria há décadas dizendo a fraude de pregar o marxismo. Arns mente e há décadas. Jesus condena a fraude até como pensamento. O Cardeal Arns sustenta a farsa de que todo cristão ou católico deve apoiar Fidel Castro. Bem como todos sabem o marxista Fidel Castro há mais de 40 anos pratica em larga escala exatamente os vícios e impurezas que Jesus Cristo tanto condenou. Não um só marxista famoso do século XX que não fosse um assassino e ladrão de propriedade alheia. Quantas dezenas de milhões de pessoas não foram exterminadas e roubadas apenas por Lênin que D. Paulo elogia há décadas?

c) Jesus disse no evangelho segundo Marcos capítulo XII versículo 17: “Dai pois a César o que é de César e a Deus o que é de Deus”.  Assim taxativamente Jesus prega a separação do estado do cristianismo. Por óbvio motivo Jesus vê o estado como inerentemente impuro, corrupto e violento. Jesus não condena a existência do estado mas exige o espaço para o resto. As questões de estado não são questões religiosas. E as questões religiosas não são da conta do estado. Todas as nações prósperas separam o estado da religião e há tempos. Jesus, como dito antes, exige respeito à propriedade privada e que César a respeite.

Marx pregou o contrário de Cristo. Ele exigiu o confisco da propriedade privada pelo estado. Jesus pregou a limitação do estado enquanto Marx exigiu que ele, estado, crescesse imensamente em poder e propriedades roubadas. Marx escreve que o estado ou César do proletariado, tem que confiscar bens alheios. Marx escreve que através do estado, com todo o poder absoluto, se terá o bem dos proletários.

A História deu razão a Jesus Cristo e desmentiu Marx. Procure aí a lista de nações com melhor qualidade de vida do mundo. Pegue as vinte melhores. Todas seguem Cristo e não Marx. O Japão não é cristão e está lá. Religiosamente o Japão não é cristão mas filosoficamente é cristão sim. Filosoficamente o Japão é mais cristão que o Arcebispo D. Paulo Evaristo Arns. Das poucas nações governadas por marxistas no mundo nenhuma chega sequer ao 60º lugar das nações com melhor qualidade de vida. Todas as 20 melhores nações do mundo com o melhor IDH ou índice de qualidade de vida:
a) Respeitam a propriedade privada.
b) Separam o estado da Religião.
c) Limitam o poder do estado.
d) Tem um setor público longe de ser gigantesco.
e) Respeitam a liberdade de culto.
f) Proíbem o roubo.
g) Proíbem o assassinato.
h) Tem todas lideranças inimigas de quem se diga marxista.
i) Não estão e nunca estiveram sob governos marxistas. Sim, parte da Alemanha esteve sob as botas do Kremlin, mas era minoria.
j) Nunca passaram por revoluções comunistas. O caso alemão está descrito acima.
k) Tem, e há tempos, partidos ditos “comunistas” ou “marxistas” inexistentes ou insignificantes.
l) Põem fora da lei quaisquer grupos que queiram fazer o que o MST faz rotineiramente no Brasil.


Enquanto isto todas as nações sob governos “comunistas” ou “marxistas” foram sempre o mesmo: tiranias miseráveis com um povo miserável e uma pequena elite marxista cercada de privilégios e vícios. Não foi por acaso que parlamentos, grandes navegações, industrialização, voto universal, alta qualidade de vida surgiram primeiro nas nações que ouviram os ensinamentos de Cristo.

Quem aplicou os bestiais ensinamentos de Marx colheu frutos bem diferentes. Das depressões da Etiópia ao Himalaia chinês (tibetano se preferir) das neves da Sibéria Soviética às selvas de Angola. Em todas as culturas, raças, climas, os bestiais ensinamentos de Marx deram no mesmo: tiranias brutais, miséria em massa, fome generalizada para os proletários e imensos privilégios para alguns poucos, matança em massa, salários miseráveis para os proletários e imensas riquezas para os marxistas. Há atualmente menos de sete nações do mundo cujos líderes se dizem marxistas ou algo parecido e todas são pobres. Todas pagam salários miseráveis a seus operários.

As idéias aplicadas de Jesus garantiram a prosperidade, a liberdade, a Democracia, o desenvolvimento. As idéias de Marx aplicadas não deram em nada mais que tirania, miséria, atraso, guerra, falsidades e escândalos. Não há nenhuma semelhança entre cristianismo e marxismo. Marx copiou sim Maomé. Um outro Profeta. E de fato tanto as nações marxistas como as maometanistas são todas nações pobres e de terceiro mundo.

Cristo libertou. Marx apenas mentiu e condenou à desgraça todas as nações que seguiram suas imbecilidades. Quanto mais marxista é uma nação mais desgraçada ela fica. O Brasil é das últimas nações marxistas do mundo. Até e principalmente a Igreja Católica preferiu Marx a Cristo.

 Deveríamos ter feito o oposto. Infelizmente a elite governante do Brasil tem uma fidelidade canina a Marx. Enquanto tal situação perdurar a desgraça continuará a assolar o povo brasileiro.

FONTE: http://reporterdecristo.com/cristo-ou-marx/

Meu Comentário: Faço minhas as palavras do que está escrito acima.

terça-feira, 22 de março de 2011

A advertência de Nossa Senhora de Akita e o terremoto no Japão




Em 1973, Nossa Senhora se manifestou em Japão à Irmã Agnes Katsuko Sasagawa, que então tinha 42 anos de idade, no convento das Servas da Ssma. Eucaristia na localidade de Yuzawadai, perto de Akita, província de Sendai.
 Quer dizer na região mais atingida pelo terremoto que acaba de causar formidáveis danos no Japão.
Akita fica na mesma latitude do epicentro do colossal abalo sísmico, porém do lado ocidental da ilha, a uma distância de 150 kms de Sendai, a cidade mais atingida, e que fica no lado oriental do arquipélago do Sol Nascente.
As fotos das pavorosas ruínas da cidade de Sendai e vizinhanças estão em todos os jornais, TVs e sites da Internet.
Akita foi atingida pelo terremoto, mas não pelo devastador tsunami. O santuário de Nossa Senhora não sofreu danos relevantes.
O terremoto e o tsunami trouxeram de volta à memória as solenes advertências de Nossa Senhora ao clero e ao mundo em 1973. Desde aquela data, a imagem de Nossa Senhora chorou lágrimas, segundo testemunhas, mais de uma centena de vezes e verteu sangue em diversas ocasiões. O fenômeno místico foi analisado pela hierarquia eclesiástica.
Em abril de 1984, Dom João Shojiro Ito, Bispo de Niihata, Japão, após anos de exaustiva investigação, declarou que os acontecimentos de Akita são de origem sobrenatural e autorizou para a diocese inteira a veneração da Santa Mãe de Deus de Akita.
Em junho de 1988, o Cardeal Ratzinger, Prefeito da Congregação da Doutrina da Fé, deu julgamento definitivo sobre os acontecimentos e mensagens de Akita e os declarou dignos e merecedores de fé.
O mesmo Cardeal Ratzinger ‒ hoje Bento XVI ‒ segundo publicou a revista italiana Jesus em 11 de novembro de 1984, comentou que as mensagens de Fátima e de Akita são “essencialmente a mesma”.
Aqueles que lembram as gravíssimas advertências de Nossa Senhora no Japão e, sugestivamente, na região hoje sinistrada, ficaram impressionados pela similitude do profetizado em 1973 com o hoje acontecido.
Mais ainda, ficaram estarrecidos com o que pode vir. Porque Nossa Senhora preanunciou em Akita castigos ainda mais terríveis do que este enorme terremoto, se o clero católico e o mundo não se arrependiam e mudavam de vida.
Nossa Senhora não foi ouvida, é doloroso constatá-lo. Mais ainda, sua maternal intervenção foi esquecida.
Este é um momento extraordinariamente oportuno para voltarmos para ela e lhe dar a atenção e obediência que merece, com toda a confiança posta na inesgotável misericórdia da Mãe de Deus.
Mas, o que disse e o que pediu Nossa Senhora em Akita?


O apelo de Nossa Senhora no Japão
O jornal “The Wanderer”, em 17 de fevereiro de 1994, publicou exaustiva matéria baseada no “Official Akita Book” (“O livro oficial de Akita”) de autoria do Pe. Teiji Yasuda, O.S.V.
É dali que extraímos a seguinte matéria de tal maneira eloqüente que qualquer comentário pode parecer supérfluo.
Uma das mensagens mais impressionantes de Nossa Senhora de Akita foi feita a 13 de outubro de 1973. Nela, a Santíssima Virgem afirmou:
“Se os homens não se arrependerem e não melhorarem, o Pai infligirá um terrível castigo para a humanidade. Será uma punição maior do que o dilúvio, nunca vista antes.

  
Fogo cairá do céu e destruirá grande parte da humanidade, tanto os bons quanto os maus, não poupando nem sequer aos sacerdotes ou fiéis. Os sobreviventes se acharão de tal maneira desolados
que terão inveja dos mortos.
“As únicas armas que restarão serão o Rosário e o Sinal deixado pelo meu Filho. Todo dia recite as orações do Rosário. Com o Rosário, reze pelo Papa, pelos bispos e padres.
A obra do demônio se infiltrará até mesmo dentro da Igreja de tal modo que veremos Cardeais se opondo a Cardeais, bispos contra bispos.
“Os padres que Me veneram serão escarnecidos, menosprezados e combatidos pelos seus confrades (outros padres).

Igrejas e altares serão pilhados.
A Igreja estará cheia daqueles que aceitam compromissos e o demônio afligirá muitos padres e almas consagradas a deixarem o serviço do Senhor.
“O demônio será particularmente implacável contra as almas consagradas a Deus. A idéia da perda de tantas almas é a causa de minha tristeza.
“Se os pecados aumentarem em número e gravidade, em breve não haverá perdão para eles.
“Reze muito as orações do Rosário. Eu sozinha ainda sou capaz de salvá-los das calamidades que se aproximam.
Aqueles que colocam sua confiança em Mim serão salvos”.

FONTE: http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com/2011/03/advertencia-nao-atendida-de-nossa.html
Leia também: http://reporterdecristo.com/aparicao-de-n-s-akita-japao/
Outros Links: www.derradeirasgracas.com/4. Aparições de N Senhora/Nossa Senhora de Akita.htm
                      http://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_de_Akita

domingo, 20 de março de 2011

VÔLEI DE PRAIA - SURPRESA NO CIRCUITO BANCO DO BRASIL: Ângela e Raquel vencem em Camboriú (SC).

Angela comemora com a torcida o título da etapa em Camboriú (SC). Foto: Fernando Lemos (CBV ao vivo)























BALNEÁRIO CAMBORIÚ (SC), 20/03/2011 – Ângela e Raquel (DF/RJ) bateram as duplas favoritas uma a uma em partidas emocionantes sempre decididas no tie-break para chegarem à final da quinta etapa do Circuito Banco do Brasil de vôlei de praia, em Balneário Camboriú (SC). Primeiro passaram por Maria Clara e Carolina (RJ) nas quartas de final, depois venceram Talita e Maria Elisa (AL/PE) nas semifinais. E neste DOMINGO (20.03), na decisão não foi diferente. O título veio com uma vitória, de virada, sobre as pentacampeãs do Circuito Mundial, Larissa e Juliana (PA/CE) por 2 sets a 1 (14/21, 21/19 e 15/13).
E por muito pouco, o título da dupla não aconteceu. Formada no início de 2011, com objetivos altos, a parceria de Ângela e Raquel não atingiu os resultados imaginados pelas jogadoras no início da temporada. Com isso, elas pensaram em não disputar a etapa catarinense. No entanto, elas resolveram se dar uma chance até a sexta etapa do brasileiro, que será disputada em Santa Maria (RS). E o resultado veio com uma etapa de antecedência.
“Nós decidimos jogar juntas até Santa Maria. As pessoas sempre falam que quando uma dupla está para terminar os resultados aparecem. Agora não sei o que vai acontecer. A ficha ainda não caiu, mas estou muito feliz”, disse Raquel.
Ângela e Raquel não treinam juntas. Ângela mora em Brasília enquanto Raquel vive no Rio de Janeiro. Apesar da distância, as jogadoras demonstraram muita sintonia ao longo da etapa catarinense.
“É claro que a distância atrapalha um pouco, mas temos um forte programa de treinamento. A emoção dessa conquista é enorme. Estou há apenas um ano e meio na praia e tenho aprendido muito com as melhores jogadoras como a Juliana e a Larissa”, afirmou Raquel, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney na quadra em 2000.
A atleta fez questão de agradecer seu antigo treinador, o técnico da seleção masculina de vôlei, Bernardinho. Raquel lembrou que o treinador pegava muito no seu pé nos treinamentos de bloqueio. E tanto na semifinal como na final o último ponto de ambos os jogos foram de bloqueio de Raquel.
“Eu tenho que lembrar do Bernardo que sempre gritava comigo para melhorar o bloqueio. Ele foi meu treinador tanto em clube como na seleção e esse título tem muito dele. Passa um filme na minha mente com essa conquista” garantiu a atleta.
Parceira de Raquel na vitória inédita em Santa Catarina, Ângela fez questão de agradecer o carinho do público. “Eu tenho treinado com os homens em Brasília para melhorar. A torcida aqui nos incentivou em todos os jogos, e temos que agradecer a eles. Esse título foi conquistado com muita superação e garra”, disse Ângela.

Gustavo "Guga" Kuerten prestigiou o evento assistindo e entregando prêmios aos vencedores. Foto: Fernando Lemos (CBV ao vivo)
Juliana lamenta erros
Juliana fez questão de parabenizar a dupla vencedora pelo belo desempenho ao longo do torneio, mas a jogadora lamentou o número de erros da sua dupla.
“Nós erramos muito na partida de hoje. Isso mostra que temos muito o que melhorar mas elas tiveram um grande torneio e merecem a vitória”, explicou Juliana.
Pódio de Camboriú (SC) - Foto: Fernando Lemos (CBV ao vivo)

Talita e Maria Elisa ficam em terceiro
Na disputa pela terceira colocação Talita e Maria Elisa (AL/PE) venceram Izabel e Elize Maia (PA/ES) por 2 sets a 0 (21/17 e 21/16).
Vice-campeãs em Balneário Camboriú (SC), Juliana e Larissa seguem liderança na briga pelo título nacional, agora com 1920 pontos. Com o terceiro lugar na etapa catarinense, Talita e Maria Elisa (AL/PE) continuam na segunda colocação com 1680 pontos enquanto Taiana e Vivian (CE/PA) estão na terceira posição com 1520.
Depois de uma semana sem etapa, o Circuito Banco do Brasil volta a movimentar as areais do país entre os dias seis e dez de abril, na cidade de Santa Maria (RS), sede da sexta etapa da temporada.
Resendense Maria Elisa (esquerda) e Talita ficaram em 3º e mantém a segunda colocação do ranking do Circuito BB. Foto: Fernando Lemos  (CBV ao vivo)
Edição de texto: Fernando Lemos.
Fontes:
Texto: CBV - Fotos: Fernando Lemos (CBV ao vivo - Internet)

sábado, 19 de março de 2011

Ministros são revistados para ouvir discurso de Obama

  
Jornal da Band - 19/03/2011


Edna Simão e Renato AndradeO Estado de S. Paulo - 19/03/2011
Guido Mantega, Edison Lobão, Aloizio Mercadante e Fernando Pimentel foram embora antes do início de discurso; seguranças do presidente americano teriam ignorado acordo de liberar revista

Indignados com a forte revista feita pela segurança da comitiva de Barack Obama, os ministros Guido Mantega (Fazenda), Edison Lobão (Minas e Energia), Aloizio Mercadante (Ciências e Tecnologia) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) não pensaram duas vezes: abandonaram o encontro da Cúpula Empresarial Brasil-Estados Unidos sem assistir o aguardado discurso do presidente dos EUA.
Segundo fontes ouvidas pelo 'Estado', havia sido firmado um acordo com a Casa Branca para que os ministros não fossem revistados quando chegassem ao local da realização do encontro. Após o almoço oferecido no Itamaraty, os ministros seguiram para o centro de convenções onde era realizado o encontro empresarial.
O acordo firmado com a Casa Branca foi ignorado pelos seguranças que estavam no local. O ministro Aloizio Mercadante reclamou muito, mas acabou passando pela revista junto com seus colegas de ministério. Mantega chegou a comentar que nem em viagens internacionais tinha passado por tal constrangimento.
Quando chegaram ao auditório e viram que o presidente da seção americana do Conselho Empresarial Brasil-EUA, John Faraci, simplesmente subiu ao palco e começou a falar em inglês, o clima que já não estava bom entre os ministros piorou.
Sem ter recebido aparelho de tradução simultânea, Mantega, Mercadante, Lobão e Pimentel simplesmente levantaram e foram embora.
Lobão prometeu que iria ligar para seu colega do Itamaraty, Antonio Patriota, para reclamar da quebra do acordo firmado com a Casa Branca. A assessoria de imprensa do Ministério do Desenvolvimento afirmou que Pimentel não assistiu ao discurso de Obama porque teria sido chamado as pressas pela presidente Dilma Rousseff.
(Comentário do Ricardo Noblat: Os ministros pensaram, sim, duas vezes. A primeira, quando mesmo se sentindo ofendidos se submeteram à revista. A segunda, quando decidiram ir embora por falta de aparelhos de tradução simultânea.
Foram humilhados duas vezes. E em seu próprio país.)

Fonte: Blog do Noblat

Meu comentário: Essa valeu pelo ano todo. Sou um cidadão de alma lavada. A quadrilha Ministerial tem mesmo que ser revistada, pois só tem bandido. E quando deixam de ser Ministros, sempre arrumam uma "boquinha" no governo petista. Basta ver posts anteriores em  Brasil - Notícia e Informação neste blog

Pra começar bem o fim-de-semana!!!

Observem a perícia e delicadeza da massagista. E como tudo acaba...

 

Colaboração: A.C.Ceschin, por e-mail

Janis Joplin - (*1943 +1970)

Para quem a conheceu recordar, e para os mais novos conhecerem essa intérprete magistral, morta prematuramente em 04 de Outubro de 1970. As imagens (gravadas em filme super8) são inéditas e nada têm a ver com a música (A Woman Left Lonely), de um tempo em que a voz e a interpretação davam a dimensão do artista .  É simplesmente para ouvir, ver e curtir!!!

Henrique Meirelles é indicado para presidente da Autoridade Pública Olímpica

Presidente Dilma indica ex-presidente Meirelles para presidente da Autoridade Pública Olímpica. E viva o Brasil!!!


Ex-Presidente do Banco Central Henrique Meirelles agora vai ser presidente da APO. " E o salário, oh..."

14 de março de 2011

A presidente Dilma Rousseff confirmou nesta segunda-feira (14) a indicação do ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, para presidir a Autoridade Pública Olímpica (APO), órgão que será criado para coordenar as obras necessárias para as Olimpíadas de 2016.
O anúncio foi feito pelo próprio Meirelles em entrevista no Palácio do Planalto. “Gostaria de anunciar que aceitei o convite da presidente Dilma para a presidência da Autoridade Pública Olímpica. O nome será enviado ao Senado que vai analisar e votar a indicação”, disse.
O mandato de presidente da APO é de quatro anos, com possibilidade de recondução por mais quatro. A indicação de Meirelles ainda deverá ser ratificada pelo Senado. Ele terá um salário de R$ 22.100 e só perderá o cargo se renunciar, por condenação penal transitada em julgado ou por decisão definitiva ao fim de um processo administrativo disciplinar.
A Autoridade Pública Olímpica foi instituída por meio de uma Medida Provisória editada no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e aprovada pelo Congresso Nacional em 1º de março. A MP ainda deverá ser sancionada pela presidente Dilma.
O órgão contará com 171 funcionários comissionados e terá seu controle dividido entre o Conselho Público Olímpico, composto por representantes da presidente da República, do governador do Rio, do prefeito, e por Meirelles. O controle dos projetos e das licitações será do Conselho Público Olímpico. Caberá ao presidente da APO fiscalizar o uso desse dinheiro.
“A minha função é coordenar os esforços das três esferas do governo e assegurar que as Olimpíadas sejam o sucesso que o Brasil e o mundo inteiro espera. O evento será simbólico da capacidade do Brasil de fato ocupar esse novo espaço que tem no mundo”, disse Meirelles.
Questionado sobre como lidaria com as pressões dos partidos por cargos no novo órgão, Meirelles afirmou que a escolha dos funcionários levará em conta qualificação técnica e competência.
“Essa questão de pressões políticas isso é normal, acontece em qualquer esfera de governo, mas eu tenho uma certa tradição e experiência nisso nos meus oito anos de Banco Central, em que pudemos administrar [distribuição de cargos] dentro de critérios rigorosos. Os profissionais têm que ser de qualificação técnica e de gestão de primeira linha”, afirmou.
Segundo Meirelles, o desempenho do Brasil na organização das Olimpíadas de 2016 pode reforçar a imagem de estabilidade política e econômica do país.
“É um projeto importante para o Brasil na medida em que a Olimpíada é a concretização da evolução do país, do ponto de vista econômico, pela capacidade financeira de arcar com os gastos para o evento, e capacidade estrutural, de executar o projeto. É uma multiplicidade de obras com data fixa para o seu efetivo funcionamento e em que não é tolerável atrasos”, explicou.
O ex-presidente do Banco Central afirmou que ainda vai realizar um estudo aprofundado do orçamento necessário para o funcionamento da APO e a realização das Olimpíadas.
“Em relação à questão de fonte de recursos, existem recursos para, a parte esportiva, do Comitê Olímpico Internacional, de patrocínio e recursos do governo federal, estadual e municipal. Evidentemente, o aporte do governo federal será substantivo. Há um orçamento que vou analisar com cuidado”, disse.

Fonte: Itapora News Net

E A FARRA CONTINUA...

Ex-Ministro Celso Amorim diz que cargo na Itaipu é convite de Patriota

Ex-Chanceler Celso Amorim (Direita) e Ahmadinejad- Foto:AP
16/03/2011 às 17:40:06
O ex-ministro das Relações Exteriores Celso Amorim disse hoje que continua a ocupar um assento no Conselho de Administração da Itaipu Binacional a pedido do seu sucessor, o atual ministro Antonio Patriota. Amorim ganha R$ 13,1 mil por mês por fazer parte do conselho, que se reúne bimestralmente.
"O ministro Patriota me pediu que ficasse. Ninguém vai poder dizer que eu não conheço a problemática de Itaipu, imagino eu", afirmou, após participar na capital paulista de reunião do Conselho Superior Estratégico da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do qual passa a ser integrante. "Esse cargo está permanentemente à disposição da presidente Dilma. Jamais reivindiquei nada, como não reivindico nada, posição nenhuma no governo. O ministro Patriota pediu que eu ficasse, ele é meu amigo, e eu acho que tenho algum conhecimento, e pelo tempo que ele achar útil eu posso tentar colaborar".
Obama
Às vésperas da visita ao Brasil do presidente norte-americano, Barack Obama, Amorim disse acreditar que a crise nos países do Oriente Médio demonstra a incapacidade dos Estados Unidos de resolver o problema isoladamente. Na avaliação dele, o momento é de mudança na ordem internacional e de inclusão de outros países, como o Brasil, no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).
"Uma crise como essa no Oriente Médio, que inclusive tem um aspecto democrático muito grande em alguns aspectos, demonstra também a incapacidade da maior potência resolver os problemas sozinha. É hora de mudar e acho que isso deve ser compreendido", afirmou. "Se há um momento no mundo em que evidentemente a ordem internacional tem de ser mudada é este. Você lê e pega qualquer artigo internacional e vê que se questiona a capacidade e até o interesse dos Estados Unidos de agir isoladamente. Será que países como Brasil, Índia e África do Sul, que têm essa convivência democrática e plural, como a Turquia, talvez, não podem dar uma contribuição no Conselho de Segurança? É isso que tem de se pensar".

Fonte: Paraná On Line

quinta-feira, 17 de março de 2011

Brasil considera desnecessário plano de retirada no Japão.

 O Blog pergunta: Será que a "Grande Mídia" Vai noticiar isso?


Itamaraty diz que situação está 'sob controle' e que são candidatos à repatriação cidadãos 'sem dinheiro' ou que 'perderam tudo'

 

Fred Raposo e Adriano Ceolin, iG Brasília | 17/03/2011 13:02 - Atualizada às 13:53

                                                                                  Foto: Reuters
O governo federal não vê necessidade de realizar um plano de repatriação de brasileiros do Japão por causa do acidente nuclear na região de Fukushima. Segundo o Itamaraty, 777 brasileiros estavam localizados em áreas afetadas antes do terremoto seguido de tsunami de 11 de março.
A Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) é contra, por ora, alguma medida para trazer brasileiros que moram no Japão de volta ao País. “Estamos acompanhando a evolução dos problemas. Nesse momento, é precipitado falar em retirada”, avaliou o diretor da área de segurança da CNEN, Laércio Vinhas.

Países da Europa já cogitam tomar medidas para repatriar cidadãos. A França, por exemplo, preparou dois aviões para transportar cidadãos do país. Outras nações, como Iraque e Angola, decidiram fechar suas embaixadas no Japão.
A situação do Brasil é complicada por causa da quantidade de brasileiros que vivem no Japão: cerca de 254 mil, de acordo com números oficiais. O Itamaraty diz, no entanto, que é “impossível saber” quantos deixaram as regiões de risco.
Na visão do governo brasileiro, a crise nuclear está “sob controle” e não há previsão de que a situação se agrave. Segundo o diretor do CNEN, “não se faz necessário evacuar o Japão por razões radiológicas”. “Agora não estou levando em consideração problemas como falta de alimentação e água”, afirmou Vinhas.
Segundo a assessoria de imprensa do ministério, são candidatos à repatriação somente aqueles que “perderam tudo” ou “não têm dinheiro” para retornar ao Brasil. O Itamaraty ressalta que há casos de repatriação em análise, mas não soube informar quantos.
O governo brasileiro assinala ainda que trabalha em conjunto com autoridades japonesas para realocar cidadãos localizados em “áreas complicadas” – onde há dificuldade de comprar alimentos ou sem aquecimento, por exemplo – para outras regiões no país.
Nova missão
Na terça-feira, segundo o Itamaraty, uma operação que contou com apoio do consulado brasileiro transportou 25 pessoas para a periferia de Tóquio. Na sexta-feira à noite, uma nova missão com dois ônibus, capazes de transportar 48 pessoas cada, levará brasileiros de Sendai para a Província de Saitama.
O ministério explica que, embora os aeroportos japoneses estejam operando em capacidade máxima, os brasileiros que se sentirem inseguros devem comprar passagens de avião por conta própria. A recomendação do governo é para que se evitem viagens para o Japão.

Segundo o Itamaraty, a embaixada em Tóquio e os três consulados brasileiros (Tóquio, Hamamatsu e Nagoia) funcionam normalmente e nenhum funcionário do corpo diplomático deixou o país. O ministério informa que, em dois dias, recebeu 3,1 mil comunicações, entre e-mails e telefonemas.
Cartilha
Os principais serviços prestados até o momento, segundo o Itamaraty, são de traduzir informações do japonês para o português, informar pessoas sobre como proceder em casos de emergência e como fazer para localizar desaparecidos.
O site do CNEN divulgou uma “cartilha para brasileiros no Japão”. O documento dá orientação para pessoas que estejam em áreas de risco de contaminação. Especificamente sobre remoção de famílias sobre suas casas a orientação é a seguinte: “Mantenha a calma. O tempo de remoção foi planejado pelas autoridades para que aconteça sem correrias. Leve o essencial: documentos, dinheiro, roupas, celulares, fotos e outros pequenos objetos de valor pessoal.”

Fonte: IG Ultimo Segundo

Condenado à prisão, Donadon continua deputado.

UOL - Reportagens Especiais - 07/03/2011 - 07h00
Eduardo Militão
Apesar da Constituição dizer que nenhum parlamentar pode permanecer no mandato se for condenado pela Justiça, Natan Donadon segue no Congresso, votando normalmente. Ele foi, por exemplo, um dos deputados da base responsáveis pela aprovação do mínimo de R$ 545.

 Natan Donadon permanece deputado - Foto: Uol
O deputado Natan Donadon (PMDB-RO) está, há quatro meses, condenado a 13 anos de prisão, acusado de desviar dinheiro da Assembleia Legislativa de Rondônia por meio meio uma licitação fraudada. A condenação foi decidida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), corte máxima da Justiça brasileira. Mesmo assim, Natan Donadon permanece normalmente no cargo de deputado federal, para o qual recebeu 43.627 votos. A Constituição diz que nenhum parlamentar pode permanecer no mandato se tiver condenação contra si. Mas a Câmara ampara-se na lei para não afastá-lo. Primeiro, a instituição só cumpre a regra do afastamento depois que se esgotam todas as possibilidades de recurso na Justiça. E, ainda assim, ainda garante ao deputado uma fase de defesa para contra-argumentar a respeito de coisas que já levaram à sua condenação no STF.

Neste mês, Donadon esteve no Congresso e participou de votações importantes, como a definição do reajuste do salário mínimo. Seguindo a orientação do seu partido, o PMDB, ele foi um dos 77 colegas da bancada que apoiaram simbolicamente o mínimo de R$ 545, como queria o governo de Dilma Rousseff. E votou “não” aos pisos de R$ 560 e de R$ 600, defendidos pelas centrais sindicais e as oposições.

A permanência de Donadon acontece porque, apesar da restrição da Constituição a pessoas condenadas criminalmente, a decisão tomada pelo STF ainda não “transitou em julgado”. A expressão jurídica significa que um processo judicial foi encerrado e dele não cabe mais nenhum recurso. Porém, mesmo que o STF encerrasse o caso imediatamente, ele ainda permaneceria deputado até seus colegas da Câmara analisarem sua situação e eventualmente até o absolverem em uma votação secreta no plenário da Casa.

Procurado pela reportagem desde quinta-feira passada (3), o deputado não se manifestou. Seus advogados também não.

Trâmite
Desde a condenação de Donadon, a papelada do processo está no gabinete da ministra Cármen Lúcia. De acordo com informações do gabinete da ministra, o acórdão da condenação sequer foi publicado, quando haveria prazo para a defesa do deputado, por exemplo, entrar com algum tipo de recurso no próprio STF. Um dos recursos possíveis são embargos de declaração, que questionariam incoerências e falhas nos votos dos ministros. Internamente no Supremo, é considerada remota a possibilidade de este recurso mudar a condenação do deputado.

Entretanto, ainda que o chamado “trânsito em julgado” da ação penal acontecesse, a Câmara precisaria receber uma comunicação formal do STF da condenação de Donadon. De acordo com a Constituição e com o artigo 240 do Regimento Interno da Câmara, o deputado deverá ter amplo direito a defesa num processo dentro do Legislativo. Ou seja: apesar do que dispõe a Constituição, a prática lhe garante um novo julgamento na Câmara, com a diferença de que esse último terá, invariavelmente, um caráter político.

Primeiro, o presidente da Câmara recebe a comunicação do Supremo. Depois, conforme interpretação de advogados ouvidos pelo Congresso em Foco, ele decide se a Mesa Diretora vai deliberar sobre o caso ou designar um relator para o assunto. Donadon deverá se defender perante a Mesa ou o relator. A decisão do relator ou da Mesa pode ser abrir uma representação contra Donadon ou simplesmente mandar arquivar o caso.

Caso a decisão seja abrir uma representação, o caso vai parar na Comissão de Constituição e Justiça, segundo o Regimento Interno. A CCJ vai designar um relator, fazer a “instrução” do caso, quando serão colhidas provas e será ouvida a defesa de Donadon. O relatório será votado pela CCJ. Se a comissão decidir por dar parecer pela cassação do deputado, aí o caso vai ao plenário da Câmara.

No plenário, a votação é secreta. São necessários 257 votos para cassação do mandato do deputado. Ou seja, ao final de uma decisão jurídica do Supremo, Donadon ainda terá a oportunidade de convencer os colegas e ser absolvido em plenário, mantendo-se no cargo.

Ficha limpa
A condenação pelo caso da publicidade na Assembleia não foi o único problema judicial de Donadon. Ele já foi condenado por envolvimento na suposta contratação de funcionários fantasmas na mesma Assembleia. Por conta da condenação, o Tribunal Superior Eleitoral barrou a candidatura de Donadon à reeleição como deputado federal.

Mas o ministro Celso de Mello, do STF, concedeu uma liminar ao deputado em dezembro – época em que já havia sido condenado à prisão pelo mesmo Supremo. Com isso, Donadon pode se diplomar e voltar à Câmara dos Deputados.

A condenação
Um dia antes de ser condenado à prisão pelo Supremo, Donadon usou uma estratégia de escapar do julgamento. Em 27 de outubro de 2010, já eleito para a próxima legislatura, mas com a candidatura barrada pela ficha limpa, ele resolveu renunciar ao cargo.

A esperança do deputado era perder o foro privlegiado no STF, evitar o julgamento marcado para o dia seguinte e fazer o processo voltar à estaca zero na Justiça Federal de primeira instância. Em 2007, a mesma estratégia funcionou para livrar o então deputado Ronaldo Cunha Lima (PSDB-PB) da acusação de tentativa de homicídio. Mas os ministros do Supremo mantiveram o julgamento de Donadon para o dia seguinte.

Ele acabou condenado por formação de quadrilha e peculato. Pegou 13 anos, 4 meses e 10 dias de cadeia. De acordo com a denúncia do Ministério Público, Donadon e mais sete acusados forjaram um contrato de licitação na área de publicidade, de 1995 a 1998. À época, o hoje deputado era o diretor financeiro da Assembleia Legislativa de Rondônia e, seu irmão Marcos Donadon, o presidente da Assembleia.

O edital da licitação não foi divulgado, segundo o procurador geral da República, Roberto Gurgel. Só três empresas – todas ligadas à suposta quadrilha – participaram da disputa, vencendo a MPJ Marketing Propaganda e Jornalismo Ltda.

Os 140 cheques da Assembleia para a MPJ totalizaram R$ 8,4 milhões, em valores da época, e foram assinados por Natan Donadon. Mas testemunhas no processo disseram que a empresa recebeu os valores, mas não prestou serviço algum ao Legislativo de Rondônia. Em sua denúncia, Gurgel sustenta que a empresa endossava os cheques e os devolvida para Donadon, que dividia com outros participantes do alegado esquema criminoso.

A MPJ não tinha registro contábeis, funcionários ou equipamentos e nunca fez qualquer trabalho para a Assembleia, informaram as testemunhas.

QUEM É O DEPUTADO CONDENADO

Natan Donadon
 Deputado federal (PMDB-RO) e servidor público
Base eleitoral: Vilhena, na divisa com Mato Grosso
Teve 43.627 votos em outubro de 2010
** Condenado a 13 anos de cadeia pelo STF, acusado de desviar dinheiro da Assembleia Legislativa de Rondônia. Se mantém no cargo porque a Câmara não recebeu comunicação oficial do tribunal sobre a decisão
** Barrado pelo TSE com base na Lei da Ficha Limpa sob a acusação de contratar funcionário fantasma na Assembleia. Conseguiu liminar para suspender a decisão e tomar posse como deputado
** A defesa: Donadon e seus advogados não retornaram as ligações do Congresso em Foco.
** Votações: Como todos os colegas do PMDB, votou a favor do salário mínimo de R$ 545 e contra os pisos de R$ 560 e R$ 600
** Gastos com cotão após renunciar ao mandado: R$ 10.617,54 (até 4 de março de 2011)

Fonte: UOL - Reportagens Especiais
Colaboração recebida via e-mail de minha amiga Lili.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...